Qual é a importância das Barragens para o país?

25 junho de 2020

As barragens são estruturas, geralmente de grande proporção, concebidas para a função de armazenamento de água, que permitem a produção de energia com a qual se abastece a rede elétrica, assumindo, assim, um importante papel para a população e meio ambiente.

Os benefícios que as barragens proporcionam são inúmeros e vão desde a produção de energia elétrica, passando pelo abastecimento de água para uso humano e industrial, pela mitigação de cheias, pelo controlo da poluição, regulação do caudal dos rios, a navegação, entre outros.

A sua construção é um engenho antigo, inicialmente utilizado por forma a armazenar água para combater a sua escassez e irrigar o solo. Atualmente, as barragens são construídas com objetivos estrategicamente definidos e necessários, após diferentes análises de todos os fatores essenciais e condicionantes. A produção de energia hídrica é principalmente efetuada através de centrais hidroelétricas articuladas com barragens de grande ou média capacidade, que sustêm a água dos rios, constituindo um reservatório de água.

Esta tecnologia tem várias vantagens comparativamente a outros géneros de produção energética, como a elevada fiabilidade, o facto de a energia ser renovável, não poluir o ambiente, proporcionar o desenvolvimento local, apresentar um custo de produção baixo, etc.

Em Portugal, grande parte da energia elétrica produzida provém de centrais hidroelétricas. Estes complexos produzem energia através do aproveitamento do potencial hidráulico existente num rio.

Cada barragem possui diferentes capacidades de armazenamento e em função dessa capacidade, cada empresa define os limites da sua exploração, tendo em consideração o contrato de conceção. Esses limites indicam a quantidade mínima e máxima de água que cada albufeira deve manter armazenada em qualquer altura, independentemente da produção efetiva de energia.

As empresas produtoras de eletricidade, como a Iberdrola, têm de fazer a gestão do armazenamento de água em cada albufeira, em conjunto com a Agência Portuguesa do Ambiente, de maneira a garantir uma eficaz produção energética e, ao mesmo tempo, dar resposta às necessidades da população, de acordo com a variabilidade das condições meteorológicas.

O Sistema Eletroprodutor do Tâmega, um dos maiores projetos hidroelétricos levados a cabo na Europa nos últimos 25 anos, é formado por três barragens e três centrais hidroelétricas. Duas das barragens estarão situadas no rio Tâmega (Daivões e Alto Tâmega) e a terceira no rio Torno (Gouvães). O projeto utiliza um sistema de bombagem hidroeléctrica considerado o mais eficiente em relação aos sistemas de armazenamento de grande escala, na medida em que permite armazenar grandes quantidades de energia e libertá-las durante um longo período de tempo. O armazenamento de longa duração não emite CO2 para a atmosfera sendo, assim, fundamental para concretizar a descarbonização e substituir as energias fósseis

O investimento total desta obra é de 1.500 milhões de euros e através dos seus 1.158 MW, aumentará em 6% a potência instalada em Portugal, produzindo anualmente 1.766 GWh, equivalente ao abastecimento de energia dos municípios vizinhos do projeto e das cidades de Braga e Guimarães (cerca de 440.000 residências). As obras ficarão concluídas até 2023.