Ignacio Galán, presidente da Iberdrola juntamente com António Costa visitaram a gigabateria do Tâmega

28 janeiro de 2020

No passado dia 28 de janeiro, Ignacio Galán, presidente da Iberdrola e António Costa, primeiro ministro de Portugal visitaram aquele que é o maior projeto da Europa nos últimos 25 anos.
Com um investimento superior a 1.500 milhões de euros, o complexo do Tâmega é constituído por três aproveitamentos, Daivões, Gouvães e Alto Tâmega, no qual o início da sua construção aconteceu em 2014 e a sua previsão de conclusão está para o ano de 2023.

Este projeto de enorme envergadura contribuiu para a criação de milhares de empregos, diretos e indiretos, com mais de 100 empresas, na qual entre estas, 75 são portuguesas. Outro grande benefício adicional a esta construção, foi o lançamento de um plano de ação socioeconómico para a zona de afluência que, através de mais de 50 milhões de euros, foram destinados a impulsionar iniciativas sociais, culturais e meio ambientais.

Uma visita que contou com a presença de grandes entidades institucionais, bem como, um enorme número de meios de comunicação social, nacionais e internacionais, estes tiveram a oportunidade de visitar toda a obra e foram ainda presenteados com várias declarações do presidente da Iberdrola, entre as quais, afirmações sobre o projeto.
Durante a visita, Ignacio Galán reforçou que projetos como este que empreende em infraestruturas como esta (uma das maiores da Europa), “só é possível através de uma planificação clara, um quadro estável, segurança jurídica e um diálogo contínuo, para encontrar soluções para os inevitáveis incidentes que possam surgir ao longo de toda a sua construção e operação”.

Dentro dos vários temas da visita, a aposta em energias renováveis em Portugal, foi também motivo de destaque. A Iberdrola conseguiu, recentemente, capacidade solar para mais do que duplicar a sua potência renovável operativa no país e desenvolver novos projetos de capacidade eólica na região do Tâmega, que implicam um investimento de 200 milhões de euros. Desta forma poderá fornecer energia limpa aos seus mais de 800.000 clientes portugueses.

Ignacio Galán, durante a visita reforçou que a Iberdrola continuará a impulsionar a transição energética em Portugal, e com isso a criação de riqueza, emprego e bem-estar para todos os portugueses.